De 9 a 12 meses

Os baixinhos não param de crescer e estão na fase de engatinhar e ganhar mais liberdade. Tomar os devidos cuidados traz mais segurança em uma etapa de novas descobertas.

Hora de engatinhar

Engatinhar exige planejamento e logística. Qual perna levantar com qual braço? Resolver aonde ir. Ampliam-se a capacidade e a frequência de tomar decisões por conta própria. Essa conquista acelera o desenvolvimento intelectual dos bebês. No princípio é engraçado. A criança poderá se arrastar com a barriga porque o controle das pernas ainda não é total e elas não são tão firmes quanto os braços. Ou ela pode engatinhar de marcha a ré, por causa do peso da cabeça, que representa 30% do tamanho do corpo. Cuidado com degraus e com os locais em que o bebê vai engatinhar para evitar acidentes.
(Fonte: Revista Crescer)

Cuidado com o andador

O desejo de ficar em pé é incontrolável. Para isso, o bebê precisa de três pontos de apoio – duas pernas e um braço, dois braços e uma perna ou dois pés e o apoio do tórax em algum lugar. Ao ficar em pé, a dimensão de mundo da criança se amplia. Os olhos de um bebê que engatinha ficam a 22 centímetros do chão. Em pé, a distância aumenta para, no mínimo, 50 centímetros, ou a altura dele. Evite colocar o filho no andador. A criança poderá ter futuras quedas ao andar porque a musculatura da perna não estará fortalecida.
(Fonte: Revista Crescer)
Voltar